Estudante de Mato Grosso do Sul venceu a Olimpíada Brasileira de Astronomia

Aluno de Três Lagoas gabaritou prova no nível 1, para estudantes do 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Estudante de Mato Grosso do Sul venceu a Olimpíada Brasileira de Astronomia

Matheus Martins, estudante do 3º ano do Ensino Fundamental em Três Lagoas, venceu a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Aeronáutica (OBA).

A prova foi realizada em maio, mas o resultado foi divulgado há pouco tempo e a premiação em novembro.

O estudante gabaritou o exame, com nota 10, que garantiu a ele a medalha de ouro, concorrendo com alunos de todo o Brasil.

 

Matheus é estudante da Rede Elite de Ensino e disse que o interesse pela Astronomia foi diferencial para se dar bem na prova.

“Adorei participar da OBA tendo em vista o meu grande interesse e deslumbramento pela Lua, pelo sol e pelas estrelas no céu. Realizo na internet pesquisas sobre os satélites e os planetas do sistema solar ”, disse.

 

Olimpíada

A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Aeronáutica (OBA) é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB).

Participam do exame alunos de todos os anos do ensino fundamental e do ensino médio.

Na edição 2021, os participantes puderam fazer os exames de forma virtual ou presencial.

O evento tem como objetivo fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia, Astronáutica e ciências afins de uma maneira lúdica e cooperativa.

Além dos estudantes próprios, a OBA mobiliza professores, coordenadores pedagógicos, diretores, pais, escolas, planetários, observatórios municipais e particulares, clubes de Astronomia, museus de ciências e outros locais que tratam desse universo.

As provas foram compatíveis com os conteúdos específicos pela maioria dos livros didáticos do ensino fundamental e do médio e divididas em quatro níveis:

  • nível 1: 1º ao 3º ano do fundamental;  
  • nível 2: 4º ao 5º ano do fundamental;  
  • nível 3: 6º ao 9º ano do fundamental;
  • nível 4: ensino médio.

Os alunos do 9º ano que obtiveram notas maiores ou igual a nove e todos os alunos do ensino médio que tiraram notas maiores ou igual a sete foram incluídos a participar do processo de seleção das grupos internacionais qualificados a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) e a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).

 

Comentários